Quinta-feira, 25 de maio de 2000 - 18h49

taxas e cotações
conversor de moedas
tempo
aeroportos
loterias
horóscopo
programação da TV
defenda-se
tecnologia da informação
ciência e meio ambiente
newspaper
brazil financial wire
financial news
imagens
bookmark
expediente

Ligue as batatas e entre na Internet

Jovens cientistas amadores da Grã-Bretanha ligaram eletrodos a uma dúzia de tubérculos e botaram um micro para funcionar

São Paulo - Computadores movidos a batata, pode? Pois jovens cientistas amadores da Grã-Bretanha, que pertencem a um grupo exótico de inventores, o Temple ov Thee Lemur, ligaram eletrodos a uma dúzia de tubérculos e botaram um micro para funcionar.

Steve Harris, o líder dos excêntricos geniozinhos, diz que a intenção foi criar a versão de um servidor (um PC semelhante ao que você tem em casa, mas bem mais potente) para a Internet que consome muito pouca energia. Para tornar o servidor sensível à ação energética das batatas, Steve e sua trupe usaram um processador Intel 386 e um outro chip especialmente fabricado para substituir o disco rígido.

As batatas podem ser ulitizadas como fonte de energia porque atuam como um denso eletrólito, a exemplo do líquido de uma bateria de automóvel. Por sinal, antes da experiência com micros, já existiam relógios digitais movidos a batata.

A apresentadora virtual Ananova, com sua discrição e simpatia de sempre, apresentou o PC com batatas e deixou escapar um “há cada coisa esquisita na Internet!”. No site slashdot, reduto dos nerds (gente com QI acima da média), o invento foi brindado com comentários elogiosos.

As páginas alojadas no servidor conectados às batatas podem ser vistas no site http://totl.net/Spud/ . Lá, também, você irá conhecer projetos inusitados e uma hilariante Declaração dos Direitos Humanos, segundo o ponto de vista do Temple ov thee Lemur. Por exemplo, “Todas as pessoas tem o direito de ser atraídas a outros objetos de acordo com as Leis ov thee Gravidade”.

João Magalhães

 
  imprimir   enviar   comentário
índice de notícias

Copyright © 2000 Agência Estado. Todos os direitos reservados.